14.9.10

Tinta Verniz Vitral e o Esmalte Vitral

O mercado das Artes Decorativas expandiu-se imenso na última década e meia.
No segmento das tintas para Pintura em Vidro, tem surgido no mercado cada vez mais variedades e marcas de tintas e vernizes para aplicar no vidro, principalmente para os trabalhos realizados a frio.
O mesmo acontece com a pasta de relevo para vidro e seus substitutos. Actualmente, existe um leque mais abrangente de opções e não apenas a clássica pasta de contorno chumbo.
Um exemplo desta diversidade é a pasta de contorno tipo "Glitter" e um maior número de cores e tons das tintas.
O artigo de hoje, sumariza as principais características e aplicações do Esmalte Vitral e da Tinta Verniz Vitral:

Esmalte vitral - O Esmalte Vitral é uma tinta de acabamento brilhante que, ao contrário dos Vernizes para Vidro, não deixa transparência. O Esmalte Vitral é indicado para ser aplicado em peças de vidro, mas também em peças de loiça de porcelana ou faiança. As cores deste esmalte podem ser misturadas entre si e este produto é solúvel em solvente.
Idealmente, o Esmalte Vitral é aplicado em peças que, depois de secarem durante um dia completo, serão cozidas em forno. O processo de cozedura facilita a aderência do Esmalte Vitral ás peças de vidro.


Tinta Verniz Vitral - A Tinta Verniz Vitral é o "clássico" Verniz para Vidro utilizado nos trabalhos de Falso Vitral - imitações de Vitrais ou "Artenouveau". Este é o tipo de tinta que privilegio nos trabalhos em Falso Vitral que realizo.
A principal característica desta tinta é o seu acabamento brilhante e transparente. Tal como o esmalte vitral o verniz vitral pode ser utilizado em peças de vidro, porcelana e faiança. A única diferença é que os vernizes aderem melhor ás superfícies vidradas e impermeáveis do que esmalte. Por este motivo o verniz vitral é mais frequentemente utilizado em trabalhos feitos a frio, que não serão sujeitos a processo de cozedura.
As cores do Verniz Vitral também podem ser misturadas entre si e são solúveis em solvente. Para obter diferentes tons, e principalmente para obter tonalidades mais claras, os vernizes vitral podem ser misturados com verniz transparente. Com base na minha experiência, considero mais adequado misturar tintas e vernizes da mesma marca.

6 comentários:

Liz Martins disse...

Olá,
Primeiro queria dizer que adorei o seu blog!! Muito bom mesmo!
E queria uma ajudinha... Estou querendo personalizar uma taça para dar de presente, mas não sei bem como fazer... Como é uma taça, precisa de algum material específico? Como faço um 'rascunho' na taça para depois cobrir com a tinta? Estou perdidona, eu sei! hehe!
Obrigada!!

Mizé disse...

Olá Liz,
Fico contente por ter gostado do meu blogue de Arte em Vidro :)
Vou responder à sua pergunta no próximo post.
Obrigado pela visita :)
Abraço,
Mizé

Pedro Lopes disse...

Bom dia!

Queria saber qual é a temperatura máxima que o verniz vitral aguenta antes de se deteriorar.

Queria pintar algumas luzes de halogênio para dar efeitos de luz em um ambiente.

Parabéns pelo blog, está muito bom!

Leandro disse...

Olá boa tarde, quero pintar garrafas de vidro,mas não quero transparência alguma, uso esmalte vitral ou verniz vitral ?

Patricia Fernandes disse...

Olá, adorei o blog! Me esclareceu muitas duvidas!! :)

Mas ainda fiquei com duvida em uma coisa: quando pinto vidros com verniz vitral, eles podem entrar em contato com água?
Eu estava pintando meus vidros por dentro por isso estou com essa duvida!

Obrigadaa! :)

Maria Silva disse...

Olá Patrícia,
Obrigado pela visita e pelo comentário.
Como já disse em outras posts aqui no blogue sobre os vernizes vitral, este tipo não é apropriado para usar em objectos que irão estar em contacto com alimentos, muito tempo expostos ao sol ou em contacto com a água. São apenas para serem usados em peças decorativas.
Cps e boas pinturas! :)